21/12/2018

 

A Associação dos Participantes e Beneficiários da AERUS, em vista de manifestações alarmistas e mal-intencionadas que começaram a circular, a partir de mensagens encaminhadas pela APRUS envolvendo comentários sobre a Tutela Antecipada e nossos trabalhos, ESCLARECE:

Cumprindo seu Estatuto, a APRUS vem promovendo a defesa dos interesses dos Participantes Assistidos, dos Participantes Ativos; e dos Beneficiários que têm seus direitos ligados à ACP formulada e defendida pelo Saudoso Dr. Luis Antônio Castagna Maia.

Alegações de que os Participantes Ativos dos planos ligados a esta ação não teriam direito ao abrigo da Tutela em vista da liquidação decretada são falsas, infundadas e fruto de manipulação política de má-fé e os argumentos utilizados para isto são vazios de qualquer validade técnica e o uso oportunista somente para tentar recriar uma imagem há muito desaparecida da nossa internet. 

Além do que reza a Lei em torno dos direitos dos Participantes desses Planos – tanto Assistidos, quanto Ativos  indagado por estes ao próprio Dr. Castagna Maia este já assegurava, que "A responsabilização da União permitiria, em um segundo momento, buscar a extensão da decisão aos participantes ativos que se encontravam em difícil situação: sem emprego, sem verbas rescisórias, sem receber os valores que verteram ao AERUS" declaração do Dr. Castagna Maia que foi registrada em 2007. 

 Risco Efetivo, mesmo, para a Tutela, é a aventura que certos dirigentes vêm tentando, de apoiar o desvio da indenização que garante a Tutela para o buraco negro da pretensa falência da Varig, onde todo patrimônio desapareceria sem explicação. Aí sim, mora um perigo verdadeiro, pois sem a segurança que o Desembargador Daniel Paes Ribeiro aceitou, de ter a indenização da defasagem para garantir o risco de eventual reversão da condenação na Ação Civil Pública, a Tutela poderia ser perdida pela falta da garantia que sustentou sua concessão.

 Finalmente, somos TODOS, PARTICIPANTES ou BENEFICIÁRIOS perante a Lei, somos TODOS IGUAIS perante a vida e sofremos do mesmo modo antes da Tutela o que Nossos Irmãos alijados dela hoje sofrem!  A eles temos de ajudar sair do mesmo buraco em que estivemos com nossas famílias! É uma simples questão de Direito e Moral!

Aos que faziam parte da Corja que levou a Varig a Falência e o Brasil à sua beira, não deve ser permitido enganar mais ninguém. Estamos prestes a viver um Novo Governo, onde estas e outras falcatruas hão de ser corrigidas.

Para os desestabilizadores em geral, a APRUS não mais se manifestará sobre este assunto; a não ser em nível técnico por nossos advogados, quando necessário respondendo perguntas objetivas e fundadas em fatos dos processos hoje existentes e para nossos associados, devidamente identificados, reservamos esclarecimentos diretos a qualquer tempo que se fizer indagado, lembrando que nossos comentários e ações constam em nosso site www.aprus.com.br e conforme mensagem transmitida pela nova direção do SNA continuaremos trabalhando em busca de soluções tecnicamente competentes e socialmente necessárias, como já divulgado.

 

Thomaz Raposo APRUS